Karla Carloni

Professora adjunta do Departamento de História  da Universidade Federal Fluminense. Mestrado e doutorado em História pela mesma universidade. Pós-doutorado na UERJ e na USP. 

CURRÍCULO LATTES

Linhas de pesquisa: 

Corpo, maternidade e sexualidade

Universo letrado e intelectualidade

Publicações: 

Livros:

 

CARLONI, Karla.. FORTES, Carolina Coelho. Mulheres Tecendo o Tempo: experiências e experimentos femininos no medievo e na contemporaneidade. Curitiba: CRV, 2020. Impresso e PDF gratuito:

Link: https://122710f0-e8fc-41b6-851e-e250168dbda5.filesusr.com/ugd/f4e744_9209dc52044a44b297d065de67ffdbe1.pdf

Artigos:

CARLONI, Karla.. FORTES, Carolina Coelho. Mulheres Tecendo o Tempo: experiências e experimentos femininos no medievo e na contemporaneidade. Curitiba: CRV, 2020. Impresso e PDF gratuito (vide acima).

CARLONI, Karla. “Requebrando os quadris": jazz e transgressão feminina nas revistas ilustradas cariocas da década de 1920. Revista Locus (UFJF), v. 25, p. 1-21, 2019.

https://periodicos.ufjf.br/index.php/locus/article/view/28235

​​CARLONI, Karla. Eros Volúsia: A bailarina do Brasil Moderno, In:  FERREIRA, Jorge. ______. (orgs). A República no Brasil: trajetórias de vida entre a democracia e a ditadura. Autores: Jorge Ferreira e Karla Carloni.  Niterói:  Eduff,  2019. Formatos Epub e PDF.

http://www.eduff.uff.br/index.php/catalogo/livros/880-republica-no-brasil-trajetorias-de-vida-entre-a-democracia-e-a-ditadura-a

CARLONI, Karla. Dança e identidade nacional na imprensa carioca do início do século XX: diálogos culturais e relações étnicas e de gênero. Revista Estudos Ibero-Americanos” (PUC-RS), v. 44, p. 365, 2018.

https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/iberoamericana/article/view/29096

Capítulos de livros:

CARLONI, Karla. Sylvia Seraphim: violência de gênero, imprensa e protagonismo feminino no Rio de Janeiro (1920-1930). In:______. FORTES, Carolina Coelho. Mulheres Tecendo o Tempo: experiências e experimentos femininos no medievo e na contemporaneidade. Curitiba: CRV, 2020.

Link: 

CARLONI, Karla G.. Dançar na Primeira República: transgressão, modernidade e identidade nacional. In: Jorge Ferreira. (Org.). O Rio de Janeiro nos jornais: ideologias, culturas políticas e conflitos sociais. 1ed.Rio de Janeiro: 7 Letras/Faperj, 2017, v. 1, p. 105-120.

Material de divulgação:

CARLONI, Karla. Eros Volúsia e a Moderna Dança Nacional. Arquivo Nacional. Que República é essa? Portal Estudos do Brasil Republicano.

http://querepublicaeessa.an.gov.br/uma-surpresa/152-eros-volusia-e-a-moderna-danca-nacional.html

Projetos em andamento

2019 - Atual

Jovem Cientista do Nosso Estado - FAPERJ. DANÇAR JAZZ NO RIO DE JANEIRO DURANTE A DÉCADA DE 1920: GÊNERO, TRANSGRESSÃO E MODERNIDADE

Descrição: O objetivo principal do projeto é analisar como durante a década de 1920, momento de intensas transformações e conflitos nas relações entre os gêneros, as danças sociais originalmente norte-americanas, destacadamente o jazz, estiveram relacionadas com as mudanças de comportamento de mulheres pertencentes aos estratos médios da cidade do Rio de Janeiro. Dialogando principalmente com História Cultural da Dança, a Antropologia da Dança, os Estudos Culturais e os Estudos da Dança o projeto parte do princípio de que o corpo e os seus movimentos integram e dialogam com o contexto histórico no qual estão inseridos e carregam em si múltiplos significados. Por sua vez, são capazes de produzir modificações culturais e sociais de diferentes ordens, como nas relações entre os sexos. As principais fontes de pesquisa são revistas ilustradas cariocas de grande circulação na época. As publicações percorriam a cidade contendo discursos a respeito do que deveria ser ou não a mulher moderna. Possuem registros dos corpos femininos e de seus novos movimentos nos espaços da cidade dedicados a dança. Anedotas, artigos, piadas, poesias, charges, caricaturas, desenhos e cartas dos leitores indicam transformações das jovens que tomavam o espaço público e percorriam os salões e os dancings buscando libertar-se de antigas restrições e padrões de comportamento. A hipótese central é a de que as danças executadas ao som do jazz e suas variações, ao serem apropriadas por mulheres pertencentes aos estratos médios da sociedade carioca, proporcionaram um novo léxico corporal que se relacionava com o momento de transgressão de antigos papéis sociais femininos. Assim, gradualmente novos corpos e comportamentos foram construídos.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

105-120.