Karoline Carula

Professora adjunta do Departamento de História e do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense. Possui doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo e mestrado em História pela Universidade Estadual de Campinas. Realizou pós-doutorado na Universidade Federal Fluminense e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

CURRÍCULO LATTES

Linhas de pesquisa: 

Linhas de pesquisa: Corpo, maternidade e sexualidade

Universo letrado e intelectualidade

 

Temas de interesse:

História do Brasil Imperial, Gênero; Raça; Escravidão; Intelectuais; Ciência; Imprensa

Publicações: 

Artigos

CARULA, Karoline. Maternidades oitocentistas: reflexões sobre ser mãe a partir do conto ‘Pai contra mãe’, de Machado de Assis. In: CARLONI, Karla. FORTES, Carolina. (orgs). Mulheres tecendo o tempo: experiências e experimentos femininos no medievo e na contemporaneidade. Curitiba: CRV, 2020.

CARULA, Karoline. A imprensa feminina no Rio de Janeiro nas décadas finais do século XIX. Estudos Feministas, v. 24, p. 261-279, 2016.

https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2016000100261&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Livros:

CARULA, Karoline; FREIRE, Jonis (Org.) . Raça, gênero e classe : trabalhadores(as) livres e escravizados (as) no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Mauad X, 2020.

 

 

 

 

CARULA, Karoline. Darwinismo, raça e gênero: Projetos modernizadores da nação em conferências e cursos públicos (Rio de Janeiro, 1870-1889). 1. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2016.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Capítulos:

CARULA, Karoline; FREIRE, Jonis . “Aluga-se uma boa ama de leite, é perfeita cozinheira, engomadeira e lavadeira”: o trabalho das amas de leite em Juiz de Fora nos anúncios do jornal Pharol (1876-1933). In: Jonis Freire, Karoline Carula. (Org.). Raça, gênero e classe : trabalhadores(as) livres e escravizados (as) no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad X, 2020, v. 1, p. 123-144.

CARULA, Karoline. Amas de leite na Gazeta de Notícias (década de 1870). In: Gladys Sabina Ribeiro; Karoline Carula. (Org.). Tensões políticas, cidadania e trabalho no longo Oitocentos.São Paulo: Alameda, 2020, v. 1, p. 233-254.

CARULA, Karoline. Alimento e saúde na primeira infância em fins do Oitocentos. In: Sebastião Pimentel Franco, Dilene Raimundo do Nascimento, Anny Jackeline Torres Silveira. (Org.). Uma história brasileira das doenças. Belo Horizonte: Fino Traço, 2019, v. 1, p. 89-135.

CARULA, Karoline. Alimentação na Primeira Infância: médicos, imprensa e aleitamento no fim do século XIX. In: Gisele Sanglard. (Org.). Amamentação e Políticas para a Infância no Brasil: a atuação de Fernandes Figueira (1902-1928). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2016, v. 1, p. 31-56.

CARULA, Karoline. Carlos Costa e A Mãe de Familia: concepções acerca da maternidade em fins do Oitocentos. In: Tânia Maria Tavares Bessone da Cruz Ferreira, Lucia Maria Bastos Pereira das Neves, Lucia Maria Paschoal Guimarães. (Org.). Elites, fronteiras e cultura do império do Brasil. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2013, v. , p. 203-228.

CARULA, Karoline. A educação feminina em A Mãe de Familia. In: Karoline Carula, Magali Gouveia Engel, Maria Letícia Corrêa. (Org.). Os intelectuais e a nação: educação, saúde e a construção de um Brasil moderno. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2013, v. , p. 85-112.

Projetos em andamento:

2017-autal - Jovem Cientista do Nosso Estado / 2017 - FAPERJ

Amas de leite na capital imperial (1870-1888)

Descrição: O objetivo da pesquisa é analisar o ofício de ama de leite na cidade do Rio de Janeiro, entre os anos de 1870 e 1888. Pretende-se mapear a oferta e a demanda de amas de leite na cidade do Rio de Janeiro; investigar quais eram os atributos das amas desejados por quem necessitava de tal serviço; verificar como as mulheres que exerciam tal atividade eram apresentadas na imprensa; analisar como os médicos representavam as amas de leite, em especial as mulheres negras (cativas, livres e forras), verificando se houve um discurso racializado para a desqualificação da atividade de amas de leite; analisar as políticas públicas para o controle do ofício de ama de leite; investigar se houve crimes envolvendo amas de leite no desenvolvimento de sua atividade; e analisar como instituições de saúde, nomeadamente a Santa Casa de Misericórdia e a Policlínica Geral do Rio de Janeiro, trataram das amas de leite. Para tal utilizarei como fontes: textos médicos (teses médicas e artigos científicos), anúncios e artigos de jornais cuja temática versasse sobre amas de leite, documentação policial envolvendo amas de leite, leis e regulamentos municipais sobre a atividade de amas de leite e serviços domésticos, documentação institucional da Santa Casa de Misericórdia e da Policlínica do Rio de Janeiro. Por meio do cruzamento de fontes variadas, busca-se compreender os múltiplos aspectos da atividade de ama de leite na sociedade. 

Raça gênero e classe.jpg
Raça gênero e classe sumário 1.jpg
Raça gênero e classe sumário 2.jpg
darwinismo raça e gênero.jpg
darwinismo raça e gênero sumário 1.jpg